Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Foi assim que aconteceu

por diariodeumabarriga, em 16.05.13

Penso que chegou a hora de contar como tudo aconteceu...sim, vou contar o final da descida a pique da minha montanha-russa! Entretanto, já me encontro em loopings, saca-rolhas e cambalhotas...mas isso fica para outras núpcias!

 

Então vamos lá começar do princípio que é para ver se nos entendemos:

No dia 29 de Abril fui à consulta das  39 semanas toda contente a pensar que alguém me ia dizer "não se mexa, a criança está mesmo à porta!"...mas não, pelo contrário ainda me marcaram consulta para as 40 semanas e a apontarem para que o pimpolho só viesse praticamente nas 41 semanas! Claro está que, como não foi a mãe a falar com o pimpolho, ele não aceitou essa ideia (tipo ordem) e dia 5 de Maio (o dia a seguir à data prevista para o parto) lá decidiu pôr pés ao caminho e vir por aí fora sem avisar por carta registada com aviso de recepção.

Posta a introdução, vamos lá à parte que mais interessa. Por volta das 19h do dia 5 de Maio, estava uma pessoa descansadinha no sofá a ver o concerto de Deolinda e eis que a barriga começa a ficar muito rija, mas não me doía...primeiro pensei que era o pimpolho a mexer por gostar da música...mas acontece que de 10 em 10 minutos a barriga ficava rija e comecei a achar estranho ele ser tão ritmado no que toca a falar dos seus gostos musicais! Ainda assim, não disse nada a ninguém e continuei na minha vidinha...e assim foi ao longo de 1h. Para além disso, fiquei com uma fome (ainda mais) descomunal! O que levou toda a gente a ficar a ollhar especada e até mesmo a perder a fome quando me viram a comer sandes de felhoses com chouriço picante...(não perguntem...)

Enquanto isto fui olhando para o relógio e já não eram 10 minutos...qual é o primeiro pensamento? Ah afinal foi falso alarme que já não são ritmadas as contrações! Tudo muito bem se o tempo entre as contrações não tivesse diminuido e mantido constante. Assim, aos intervalos de 5 minutos ainda deu para dançar Quim Barreiros com o meu avô (pela primeira vez na vida dancei com o meu avô, que eu nem sabia que ele dançava!), fazer uma caminhada que inclui subidas bastante íngremes e acabar de ver o jogo do Sporting (no final já estavam de 4 em 4 minutos e com uma dor bastante forte). E não, até aqui ainda não tinha dito a ninguém que estava com contrações! Como achei que se calhar não era a brincar e devia mesmo ir para a maternidade, pedi à minha mãe para ligar ao meu marido para ele não demorar a chegar a casa (ele tinha saído há 5 minutos) que eu estava com contrações. Pobre rapaz, admito, que nem teve tempo de se mentalizar!!!

Depois de estar na maternidade foi simples...entro na urgência, vêem que estou em trabalho de parto, mandam-me para a sala de partos e ainda dizem ao pai "ah está para demorar, se quiser ir a casa dormir". A sorte foi que o rapaz não queria sair dali nem um minutinho! Uma vez que entrei na sala de partos por volta da meia noite e o pimpolho nasceu às 3h35 da manhã...se o pai tivesse ido a casa, quase que conhecia o filho já com dentes!

 

O parto foi com ventosa mas correu tudo muito bem! O pimpolho pesava 2,630 kg e media 49 cm (: Eu que achava que não ia querer epidural nem nada do género, ao fim de 2 contrações na sala de partos pedi epidural, cesariana e tudo a que tinha direito. Também acredito que tenha sido a primeira vez que a mãe decide ter a criança de meias calçadas (tinha os pés frios!!!) e que, enquanto a criança está a sair, decide pedir desculpa aos enfermeiros por ter gritado um bocadinho (há que ser bem educada!).

 

Em breve explico o que se sente desde as dores até à energia quando olhei para o pimpolho (:

publicado às 16:45



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




Bloglovin

Follow on Bloglovin

Quem por cá passa


Facebook